0 Comentários

  1. Admin bar avatar
    31/07/2020
    Responder

    Fantástico, só estou com um pouco de dúvida em relação a indicação dos artigos científicos .

  2. Admin bar avatar
    31/07/2020
    Responder

    Tenho uma outra dúvida, para qual email enviar: dúvidas ou comentário.

  3. Admin bar avatar
    31/07/2020
    Responder

    Aliar, tática e técnica para obter o resultado pretendido.

  4. Uma excelente iniciativa e que tenhamos, todos, uma boa caminhada durante o processo.

  5. Muito boa esta abordagem sobre os aspectos metodológicos. Inclusive podem ser aplicados , com as devidas adaptações, a alunos com algumas deficiências, tanto cognitivas , quanto motoras. Alunos com Síndrome de Down , Deficientes visuais e outros.

  6. Muito boa esta abordagem sobre os aspectos metodológicos. Inclusive podem ser aplicados , com as devidas adaptações, a alunos com algumas deficiências, tanto cognitivas , quanto motoras. Alunos com Síndrome de Down , Deficientes visuais e outros.

  7. Boa sorte a todos!

  8. Ótima iniciativa, espero aproveitar bastante o curso e poder compartilhar o aprendizado com os colegas e professores, e que as novas ferramentas tecnológicas sejam um aliado na formação pedagógica do judoca.

  9. Realmente temos que ter a noção do grande papel que o treinador tem no desenvolvimento do aluno/atleta, em seus diversos aspectos e buscar cada vez mais utilizar os conhecimentos e as habilidades pré-existentes do próprio aluno, no seu desenvolvimento, buscando aliar as práticas de vida ao conhecimento científico, pois só assim, poderemos promover o real desenvolvimento do indivíduo. Neste contexto o planejamento é fundamental para a orientação do nosso trabalho e um acompanhamento mais fidedigno da condição do aluno/atleta.

  10. Vamos que Vamos!
    oss!

  11. Ótima aula do professor Luiz. Muito interessante quando ele fala dos métodos de ensino mais utilizados no judô. Vejo que o método misto é muito utilizado nos treinos. É importante também observar e classificar os erros psicomotores ou cognitivos, pois isso irá ajudar na evolução do aluno.

  12. Admin bar avatar
    31/07/2020
    Responder

    Muito bom, agora vamos nos preparar. Obrigado Shihan Maduro

  13. Boa noite
    Muito bom o conteúdo mesmo sendo e EaD vamos poder comprir com todas as expectativas.
    Gostei muito da ideia da comissão de educação, me interessou muito.

  14. Gostei bastante, excelente trabalho fico lisonjeado, Oss

  15. Sensei, exelente abordagem sobre metodologia de ensino, chegando bem próximo a nossa realidade de ensino onde temos a dificuldade de espaço (dojo) e dificuldades dos alunos iniciantes em aprender as técnicas de forma correta, Aristóteles falou também que” a repetição leva a perfeição”, muito boa abordagem.

  16. O treinadortem um papel muito importante na vida do atleta, por esse motivo ele tem que ter conhecimento técnico e teórico tem que se psicólogo, nutrionista, amigo, preparar aulas e está preparado pra alcançar o objetivo do atleta, e de uma responsabilidade muito grande trabalhar com segurança, muito boa as abordagens das obrigações dos treinadores desde o objetivo até aos planos de aulas.

  17. Sensei Luiz Mauro, o que se percebe hoje, em se tratando de alunos crianças, uma falta de coordenação motora, lateralidade e alguns desses déficits, faz com que o Professor busque alternativas para essas correções, sendo muito utilizado o lúdico para que seja atingido o objetivo. Dessa forma, a aplicação das técnicas se torna um desafio nessa mescla de técnica/ludicidade fazendo com que o planejamento da aula se torne cada vez mais dinâmico e maleável. É percepticel em lgun alunos alunos a deficiencia cognitiva que por vezes leva tambem a dificuldade psicomotora.

  18. Excelente iniciativa!
    Vamos juntos construir esse novo momento, contribuindo com o próprio aprendizado e feedbacks, para consolidar essa nova possibilidade de aprimoramento do conhecimento no Judô da Bahia.

  19. Boa noite.com fé em Deus Vai dar tudo certo.

  20. Achei importante quando ressaltou a frase: “Não existe teoria sem prática e nem prática sem teoria”. Em muitos casos fica evidenciado mais a parte prática dos treinos, se esquecendo da teoria. Acredito que seja muito importante manter esse equilíbrio entre a prática e a teoria.

  21. Professor Luiz, excelente abordagem em relação as adaptações aos alunos na hora dos treinos. Algo muito interesante seria colocar um aluno com maior facilidade e um com menos, para que este venha ser melhor orientando, e corrigir os pontos que precisam de melhoria, sobre a orientação do professor.

  22. Então! Eu sou amante da fisiologia do exercício onde sou pós graduado e estou fazendo Mestrado na Funiber, e periodizacao e um tema que abrange todo conhecimento do corpo e dos limites do atleta, cada ciclo, cada viametabolica, cada preparação de treino deve ser analisado, planejado e realizado pra que se prevaleça a saúde do atleta, ao alcançar seu objetivo, exelente abordagem do professor.

  23. Existe um risco muito grande na perda de peso rápido para pesagem no judô, risco de desidratação e tendo como consequência perda de desenpenho, o descontrole da dislipidemia, aceleração da sacorpenia e levar até a falecimento, acredito num processo mais longo com acompanhamento de uma equipe Multdisciplinar com Médico, Nutricionista, Profisional de Ed. Física pra assim obter um resultado positivo e satisfatório.

  24. Muito bom, Sensei. Procurar identificar qual método de ensino se aplica mais adequadamente a determinada turma e objetivo é essencial, vemos no dia-a-dia o quão é importante essa separação. Também achei interessante a enfase de que muita informação de uma vez pode atrasar o aprendizado.

  25. Então! Muito boa a abordagem sobre cognição e formas de treino pra melhorar esses movimentos, mas tenho algumas dúvidas:
    1- o treino de judô não aumenta a cognição e movimento motor principalmente crianças?

    2- com a repetição eu consigo a perfeição e automatização do movimento e assim uma variação maior das tecnicas ?

  26. AULA MUITO BOA, GOSTARIA DE RESSALTAR AINDA NO PROCESSO DE INJUSTIFICAÇÃO NOSSOS ALUNOS O PORQUE, PARA QUÊ ELE BUSCA ESSE CONHECIMENTO; TODOS SABEMOS QUE NOSSA MODALIDADE É UMA ARTE MARCIAL, E SABEMOS QUE DIAS ATUAIS PESSOAS (ALUNOS) BUSCAM APENAS UMA PRATICA ESPORTIVA OU FÍSICA (BEM ESTAR), MAIS DIGO POR OPINIÃO PRÓPRIA (PRATICANTE) QUE SEMPRE FIZ E PRATICO JUDO COM FINS DA DEFESA PESSOAL (TRABALHO EM ESCOLAS DE VIGILANTES COMO INSTRUTOR) E EM TODAS TURMAS TEM A SURPRESA SOBRE ESTE FATO ATÉ POR OUTROS PRATICANTES MARCIAIS (NÃO JUDOCAS), OU SEJA; APENAS ESTOU SALIENTANDO NA IMPORTÂNCIA DE IDENTIFICAR AS PROCURAS E OBJETIVOS DOS CLIENTES (ALUNOS) E SEPARAR METODOLOGIAS E SEPARAÇÃO DOS MESMOS.

  27. Estratégia nos treinos e táticas na competição, interessante essa diferença onde muitos treinadores confundem, eu gostaria de aprofundar mais sobre esse assunto pra ficar mais claro pra mim.
    Faz muita diferença nas competições e abre um leque enorme de opções pra execução.

  28. Ótima abordagem sobre o tema Professor, as metodologias devem ser aplicadas de forma adaptativa as circunstâncias encontradas no nosso ambiente de treino. O método misto é bastante utilizado nos centros de treinamento no geral, ele é bastante eficaz em facilitar a maior compreensão dos alunos, perante as suas dificuldades vividas no dia à dia, excelente aula.

  29. Admin bar avatar
    31/07/2020
    Responder

    Muito bom, quando é dado informação demais a um aluno principalmente os iniciantes sempre se torna mais complicado a aprendizgem

  30. Muitíssimo importante a questão da periodização e dos aspectos ligados a fisiologia na preparação dos alunos/atletas, pois estão diretamente ligados a organização e planejamento do trabalho , orientando nossas diretrizes e nos auxiliando na construção dos objetivos, de uma maneira mais clara e mais próxima da nossa realidade.
    Podemos observar também que , como foi visto em aula anterior, os aspectos físicos, sociais, culturais e estruturais de treinamento, quando bem identificados no nosso planejamento, nos dará uma boa visão de como realizar a periodização do treinamento, dentro de uma perspectiva mais próxima da realidade do nosso dia-a-dia.

  31. Vamos vivenciar essa nova experiência com belíssimo conteúdo para o nosso crescimento profissional.

  32. Admin bar avatar
    01/08/2020
    Responder

    Boa noite, ao final da segunda aula do Professor Maduro o mesmo solicitou que fosse enviado a ele questionamentos sobre as aulas e indicou um e-mail para isso. Alguém poderia disponibilizar o e-mail?

  33. A questão do processo do controle de peso precisa ser bem avaliada, durante o planejamento e montagem da periodização do treino, pois deve ser o mais natural possível, respeitando as características fisiológicas, culturais e físicas dos alunos/atletas, tentando enquadrá-los nas categorias mais próximas da sua realidade.
    No processo de observação do aluno/atleta, deve ser mapeado este aspecto (controle de peso), para que o planejamento de treino deste, respeite sua individualidade físico/metabólica e seja realizada uma intervenção multidisciplinar (nutricional, médica e preparação física) adequada sempre que possível.

  34. Os conhecimentos téorico e prático são muito importantes para o técnico ter embasamento no desevolvimento de um bom planejamento do treino. A formação do técnico hoje é tão importante quanto a do próprio atleta.

  35. Excelente assunto, principalmente para quem já é professor e poder ter noção do conhecimento da fisiologia.
    Em relação a periodização algo muito importante para uma organização em foco e individualizado, pois nossa realidade acaba não deixando isso acontecer de forma profissional.

  36. A comunicação realmente é um aspecto muito importante durante todo o processo de troca entre professor/treinador e aluno/atleta, pois se não for bem conduzida pode induzir e/ou introduzir alguns pontos de falha no execução do planejamento, podendo dificultar o alcance dos objetivos propostos.

  37. As questões relacionadas a cognição e a motricidade do aluno tem muito influência das suas experiências prévias.
    Temos que entender também a importância dos canais perceptivos na troca de conhecimento e no planejamento de nosso trabalho, principalmente se tivermos alunos/atletas com algumas deficiências (cognitivas e/ou motoras).
    Acredito que o treino de judô aumenta a cognição e promove a melhoria do movimento motor, principalmente nas crianças, pois, durante os treinos são realizados trabalhos ligados a bilateralidade, equilíbrio corpóreo, equilíbrio de forças, momento de força, além da compreensão do corpo como um todo, onde as suas partes, tronco, membro inferiores, superiores, trabalham em sintonia e não de forma isolada.
    Penso que a interação entre o conhecimento declarativo e o conhecimento processual, aliados a repetição dos movimentos, leva a uma interiorização , ou seja, o automatismo das técnicas trabalhadas, de forma que assim que o aluno/atleta alcance um determinado patamar de desenvolvimento, o mesmo já terá, além de uma percepção maior na utilização de tais técnicas a capacidade de adequá-las e até mesmo modifica-las introduzindo assim um estilo próprio.

  38. Realmente muito interessante esta abordagem e esse entendimento sobre a estratégia e a tática. Com isso reforçamos a condição de que o planejamento de nosso treino é de vital importância para o nosso aluno/atleta, pois a partir dele é que poderemos desenvolver as habilidades e fundamentos necessários para executar a melhor tática e ter o melhor desempenho durante as lutas.
    A comunicação entre professor/treinador e aluno/atleta, também depende do entrosamento entre os dois e do conhecimento das capacidades do atleta por parte do treinador e da interpretação das mensagens por parte do aluno, e isso só se consegue com muito treino e interação entre ambos.

  39. Aula muito boa para quem está almejando a graduação de faixa preta, esclarecendo sobre a periodização, planejamento, ciclos, tipos de treino e fisiologia. Vemos como é importante ter essa preparação e sequência de trabalho para evolução do aluno.

  40. Interessante aula!
    Pois as as agremiações/clubes onde seus judocas não participam de competições onde muitos de seus praticantes ali estão com fins da pratica de atividades físicas, (bem estar, praticar exercícios digamos não tradicionais) então este módulo deixa claro que independente de nossos alunos serem ou não competidores, agente saber moldar e periodizar nossos treinamentos para este publico também, creio que massa bruta em porcentagem real de agremiações/clubes vivem com não atletas competidores, então foi valido pegar este conhecimento e ofertar em nossas aulas no dojo.

  41. IMPORTE ABORDAGEM NO GERENCIAMENTO DAS INFORMAÇÕES ENTRE TÉCNICOS E COMPETIDORES/ALUNOS NAS COMPETIÇÕES E ÂMBITO DA ACADEMIA, ESSE ENTROSAMENTO É FUNDAMENTAL.

  42. BOM DIA! TAMBÉM ESTOU COM DUVIDAS SOBRE O ENVIOU DE PERGUNTAS COM DUVIDAS DO CANDIDATOS OU COMENTÁRIOS, ONDE OS MESMO IRA VALER 20% DA NOTA FINAL, AO MENOS NÃO FICOU CLARO O ENDEREÇO DESTE E-MAIL OU SE VALE NO PRÓPRIO CAMPO DE POSTE DE CADA MÓDULO.

    • Admin bar avatar
      01/08/2020
      Responder

      Mateus, boa noite alguma resposta sobre o e-mail? No topo da pagina encontrei esse ead@febaju.com.br mas até o momento não enviei nada pois não tivemos resposta ainda

      • Boa tarde, eu consegui meu nobre, obrigado.

      • Bom dia
        Não consigo visualizar a aula 3 dos módulos l, ll, lll

        • Material de estudo de excelência disponível nessa plataforma para todos partivipantes do curso de formação, Nage No kata e katame no kata, gostaria que ficasse disponível pra todos participantes como material de estudo, se possível.
          Parabéns aos envolvidos.

  43. Importante esse processo!

  44. Um ótimo curso para todos ..

  45. Muito interessante o assunto abordado, o aprendizado do aluno realmente depende muito da observação do professor em todos os seus aspectos, principalmente durante a confrontação, que é quando o aluno está tentando aplicar o que lhe foi ensinado e ao término as explicações serão necessárias, para que o aprendizado seja completo.

  46. Gostei do comentário sobre a ciência e a prática, onde os dois devem estar sempre em conformidade, ou um completar o outro. Estou inserido como professor de Judô pela CBJ, FEBAJU e com reconhecimento pelo Cref/Confef.
    A colocação sobre o treinador ser como uma esponja é muito pertinente, pois além de colocar em prática o que já tem como ensinamento, ele absorve o que há de bom e que possa acrescentar nas suas aulas, observando os treinos de outros professores.
    Os treinadores, principalmente de cidades do interior, servem, realmente, além de técnicos, eles correm atrás de patrocínio, divulgação, massagista etc… e que as vezes para os alunos, eles só ficam ali na cadeira de técnicos dando informações, não sabendo que esta é a função mais fácil.
    Agora que o Bombril, melhorava a imagem, isso eu tenho certeza kkkkkk (para descontrair)

  47. Gostei muito da técnica do sanduíche … Com a nossa empatia vamos além.

  48. Boa tarde ! A importância do treinador perante aos seus alunos é muito importante para o desenvolvimento nos treinos quanto na vida pessoal.
    Algo muito interessante é o professor saber obsevar e absorver o que é apresentando por outro professor, para aí adequar uma estratégia para ser aplicado nas competições.

  49. Ótima aula.
    Sobre o conhecimento declarativo, que se repetindo torna-se processual, numa luta, tanto o atleta já sabe previne o desenrolar dos movimentos, como também, ele pode provocar uma situação aonde ele já saberá a reação do adversário, como por exemplo, ele aplicar um golpe esperando a defesa do adversário para que tire proveito desta situação. Este módulo foi muito proveitoso.

  50. Esta comunicação do técnico com o atleta, foi uma abordagem muito importante neste módulo. Acho importante o professor combinar com os alunos alguns movimentos que ele vai fazer como técnico na hora da luta, para que haja um entendimento mais rápido por parte do competidor, assim não perderá muito tempo e entenderá o que o técnico quer passar pra ele de imediato.

  51. Muito Boa a aula sobre perda de peso. Pegando um pouco do que o Sensei Mateus Varjão falou acima, a maioria das agremiações tem em sua maior porcentagem atletas não competidores. Então é muito importante ter esse cuidado no planejamento da periodização dos treinos, para que os dois públicos (competidores e não competidores) sejam alcançados. E para os competidores, tomar cuidado em como a perda de peso é implementada, para que não prejudique o atleta.

  52. Boa noite a Todos !!!
    Parabéns a FEBAJU e aos excelentes profissionais envolvidos no curso.
    Grande abraço!

  53. Boa Noite!
    Que o curso seja de muito conhecimento e agregador para todos.

  54. Excelente abordagem professor. A construção do conhecimento através do estímulo/correção/estímulo, “ o chicote com mel”, se demonstra muito eficiente na aprendizagem e na relação instrutor-instruendo!

  55. Boa noite! O aperfeiçoamento do treinador com figura importante na vida dos atletas é um ponto bastante interessante, pois muitas vezes o aluna vê o seu treinador como seu espelho para vida, então é muito importante para nós zelarmos por nossa imagem e postura dentro e fora dos tatames. No mais foi uma excelente aula.

  56. É fato que o treinador acaba assumindo, muitas vezes por necessidade(quando não pode buscar outra alternativa, seja por condição financeira ou urgência), muitos papéis como mostrado nessa aula. Por isso agir como uma “esponja” se mostra ainda mais necessário. Eu como jovem e ainda como atleta e aluno em formação ressalto que nós vemos nossos senseis como fonte de amplo conhecimento, orientação e como espelho em varias áreas.

  57. Abordagem importante e com uma sequência bastante didática dos Aspectos pedagógicos, iniciando pelos princípios pedagógicos e transcorrendo para métodos e processos de ensino, de forma clara e bem exemplificada, com a sutileza de nos fazer entender que todo esse processo de contrução é sempre permeado por relações humanas.

  58. Me agradou muito a ordenação das idéias: Formação, missão, característica e condições necessárias para ser treinador, com os aspectos teóricos e práticos sendo levandos em consideração, consolidando com a importância de um bem estruturado planejamento.

  59. Os treinadore são verdadeiros líderes que passam informações e conhecimentos, trabalham as questões dos sentimentos e emoções dos atletas e como base de tudo, são exemplos. Tudo isso dentro do contexto indissociável entre teoria e prática.

  60. Excelente explicação sobre estratégia, na hora da competição.

  61. Sensei Luis, o treinador nesse contexto apresentado, abarca várias funções como bem citadas, sendo também em alguns casos fazem um papel de pais, principalmente quando se trata de comunidades carentes ou projetos sociais. Saber fazer a “leitura” do seu atleta, também é um grande passo no seu trabalho, saber as suas necessidades, seus objetivos e como fazer para levá-los ao alcançarem o seus objetivos, sabendo-se que não necessariamente eles serão alcançados, por diversos motivos alheios às expectativas do treinador e do aluno.

  62. Admin bar avatar

    Muito bom! Esta aula expõe certamente os processos prejudiciais na perda de peso, bem como a maneira correta a ser adotada para o mesmo. Nós professores, devemos estar atentos a orientarmos os nossos alunos a fazer o correto, evitando assim danos colaterais nos mesmos.

  63. Excelente explanação trazendo aspectos fundamentais para que o professor possa desempenhar a função, promovendo o aprendizado e crescimento do aluno de forma eficiente e eficaz.
    Ficou claro o papel e a responsabilidade do professor na formação do aluno, no dever de respeitar as individualidades, dedicando atenção especial no estimulo a quem tem maior dificuldade cognitiva ou psicomotora considerando que o judô e uma grande ferramenta de auxílio à educação e não tão somente fábrica de campeões.

  64. Sensei Luiz Maduro, sua pesquisa de doutorado mostrou um resultado surpreendente visto que, pela lógica, os treinadores com formação académica deveriam apresentar o discurso e a prática distinta em relação aos demais colocando a serviço do judô todo o conhecimento científico adquirido na graduação.
    Importante o treinador se conscientizar da missão e da multifuncionalidade que exerce em relação ao aluno/atleta e para maximizar a possibilidade de alcançar objetivos, quer seja nos treinamentos, quer seja nas competições. Deveria lançar mão do conhecimento científico, da experiência vivenciada, de eficiente planejamento das aulas, além de demonstrar conhecimento técnico para conquistar a confiança dos alunos/atletas.
    Muito importante a dinâmica do treinamento em partes ou fases evidenciando aquecimento adequado para mitigar a possibilidade de lesões, dedicar boa parte da aula na pratica dos fundamentos do judô para potencializar o desempenho dos alunos/atletas de forma que no randori ou em competição a fluência da técnica seja natural, apresentando um judô técnico e bonito de se ver.

  65. “De modo geral, o ponto forte dos esportes é o fato de
    serem competitivos, o que desperta o interesse dos jovens.
    Não importa o quanto seja valioso o método de educação
    física, se não for colocado em prática, ele não servirá a
    nenhum propósito – e aí está a vantagem dos esportes.
    Mas neste sentido também há questões que devemos
    considerar cuidadosamente. Primeiro, o principal propósito
    dos esportes não é a educação física; as pessoas competem por
    outra razão, ou seja, para vencer. Assim os músculos não
    são necessariamente desenvolvidos de maneira equilibrada;
    em alguns casos, o corpo é muito exigido ou até lesionado.
    Por esta razão mesmo não havendo dúvidas de que é
    muito bom praticar esportes, é preciso analisar com
    cuidado o tipo do esporte e o método de treinamento. Os
    esportes não devem ser praticados de maneira descuidada,
    com exageros ou sem restrições. Entretanto, é seguro dizer
    que os esportes competitivos são uma forma de educação
    física que deveria ser promovida com essa ressalva em mente”.
    JIGORO KANO
    (Kano, J. ENERGIA MENTAL E FÍSICA: Escritos do
    fundador do judô. Editora Pensamento, São Paulo, 2008; pag 49)

  66. Ensino do judô: metodologia e propostas pedagógicas

    La enseñanza del judo: metodología y propuestas pedagógicas

    Teaching judo: methodology and pedagogical proposals

    *Acadêmico do curso de Educação Física

    Bacharelado da Universidade do Vale do Itajaí

    **Professor do curso de Educação Física

    Bacharelado da Universidade do Vale do Itajaí

    (Brasil)

    Rafael Lima Kons*

    rafakons0310@gmail.com

    Vinícius Campos*

    viniciuscampos_93@hotmail.com

    Guilherme Weiss Freccia**

    gwfreccia@univali.br

    Resumo

    O Judô é um dos esportes mais difundidos atualmente, além de ser uma modalidade com fins competitivos também busca a idéia da formação do caráter do praticante, isto é a transferências dos valores disciplinares, filosóficos e socioeducativos que o Judô oferece. Existem algumas preocupações que cercam a modalidade de Judô quanto a seus valores metodológicos, evidenciando uma idéia em que não existe uma metodologia de ensino especifica para o ensino do Judô. Nesta pesquisa buscamos entender quais os métodos de ensino podem ser utilizado na modalidade de Judô, através de uma revisão de literatura percebemos em alguns estudos que o Judô pode ser classificado dentro dos métodos de ensino tradicional, estilos de ensino de Muska Mosston, dos métodos de ensino de lutas gerais, nas metodologias do ensino da educação física, estas construtivistas e critico emancipatória. As metodologias vigentes no geral, quando aplicada ao Judô.

    Unitermos: Metodologia do ensino. Lutas. Judô. Educação física.

    Abstract

    Judo is one of the most widely spread sports, and is a mode for competitive purposes also search the idea of ​​training the practitioner’s character, ie the transfer of disciplinary, philosophical and socio-educational values ​​that Judo offers. There are some concerns surrounding the sport of Judo as its methodological values, showing an idea where there is a teaching methodology specific to the teaching of Judo. In this research we seek to understand what teaching methods can be used in Judo modality, through a literature review we noticed in some studies that judo can be classified within the traditional teaching methods, teaching styles of Muska Mosston, methods of teaching general struggles in teaching methodology of physical education, these constructivist and critical emancipatory. The existing methodologies in general, when applied to Judo.

    Keywords: Teaching methodology. Fights. Judo. Physical education.

    Recepção: 05/05/2015 – Aceitação: 15/07/2015

    EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 20, Nº 207, Agosto de 2015. http://www.efdeportes.com

    1 / 1

    Introdução

    A escolha pela prática do judô no Brasil permeia em diferentes faixas etárias, classes sociais, gêneros e etnias. Esta prática tem sua popularidade justificada não só nos bons resultados olímpicos, mas também no seu potencial educacional, apesar de ser considerada uma modalidade esportiva de combate. O judô, enquanto manifestação cultural de prática corporal transfere conhecimentos da linguagem e filosofia orientais, e transmite valores socioeducativos tangentes à formação plena do cidadão, tais como: disciplina, respeito, caráter e compreensão ao próximo.

    O judô foi idealizado com bases científicas em 1882 no Japão pelo professor Dr. Jigoro Kano que, enquanto praticante e estudioso, após observar as artes marciais orientais com finalidade guerreira como o Jujutsu (antigo jiu jitsu) que na época era o sistema de lutas marciais, buscou um processo de criação, adaptação e transformação das técnicas antigas mais traumáticas para práticas com fundamento científico, biomecânico, e resgate cultural, cujo objetivo era enfatizar seus princípios filosóficos na contribuição para um ser humano melhor, enfatizando assim um fim educacional para aquele que o praticava.

    Os benefícios cognitivos e afetivos da modalidade de judô pode por questões educativas atribuir para o crescimento e sabedoria da criança, ele também auxiliar no desenvolvimento físico da criança, trazendo inúmeros benefícios para que englobe toda a otimização do desenvolvimento motor da criança, enfatizando principalmente no que se refere à coordenação motora e dos aspectos afetivos, isto é questões que a criança deve desenvolver em toda sua parte de crescimento e amadurecimento.

    Segundo Godim (2012) o ensino do Judô é a reflexologia dos objetivos dos professores, da formação dos mesmos, da idade biológica dos alunos, das condições materiais, e da perspectiva de Judô no qual se deseja trabalhar. Para dar conta desses fatores, os professores precisam optar por metodologias de ensino que venham dar credibilidade a seu trabalho, justificando em primeira mão a escolha por esta prática e buscando à maior aderência por parte dos praticantes. Mesmo sendo descrita as metodologias gerais de lutas por faixas etárias, de acordo com Dell Vecchio e Franchini (2012), ainda não existe um consenso científico, onde o referencial teórico é escasso, se tratando das metodologias de ensino do judô especificamente.

    Ainda, por um ser uma arte marcial oriunda de crenças filosóficas do budô, é de grande importância que durante o processo de transmissão de conhecimento do professor para o aluno seja claro e objetivo, isto é, deve haver uma transferência de valores entre eles para manter uma tradição que vai de aluno para professor constantemente.

    Buscando subsidiar o conhecimento científico acerca do ensino do judô e suas metodologias vigentes, através de uma revisão de literatura iremos buscar entender quais os processos de ensino que ocorrem no judô na terceira infância, e dentro das idéias em que os autores citam apresentar futuras tendências de ensino.

    Revisão bibliográfica

    Métodos tradicionais do ensino do judô

    Entender o processo do ensino do Judô tradicional nos faz pensar que antes de se tornar um esporte, o Judô era uma arte marcial com objetivo e finalidades totalmente filosóficas, isto é seu ensino inicialmente era voltado para a construção de um ser melhor e seu processo de esportivização.

    Segundo Godim (2012) o modelo tradicional de ensino do Judô possui algumas características peliculares a este método, dentro de um contexto geral, percebemos, por exemplo, que na prática poderão ser identificados pontos fortes que delimitam a realidade deste método.

    O criador do Judô Jigoro Kano tinha inicialmente a idéia de disciplinar e repassar uma filosofia adequada ao praticante de Judô, nisto incluía-se a disciplina e seu processo esportivo, este que no passar do tempo teve um enfoque maior.

    O processo de esportivização do Judô deve ser analisado em dois fatores: no foco das idéias do professor Jigoro Kano em relação ao Judô competitivo, no qual sua principal meta era divulgar o Judô pelo mundo na perspectiva educacional e de formação humana; o outro foco a ser analisado é o contexto dos fatos históricos, tanto do Japão como do mundo que o Judô transcorreu, ou seja, entender como o Judô se configurou no momento das duas guerras mundiais, os primeiros campeonatos de Judô até chegar como uma modalidade esportiva olímpica nos jogos olímpicos em 1964 no Japão e quais as mudanças que ocorreram com influências políticas, econômicas e culturais até o momento atual pelo seu processo de institucionalização (Araujo, 2005).

    Com o processo da esportivização do Judô acontecendo em todo o Japão e pelo mundo, o Judô começou a ser ensinando em ambiente educacional, isto é, era praticado não só por adultos, mas também por crianças e a prática introduzida como disciplina já na idade escolar.

    A relação “aluno x professor” nos métodos antigos de ensino, nos vem uma idéia tecnicista onde o professor se torna um ícone a ser seguido, de modo que, o aluno segue tudo aquilo que o professor determina, da maneira em que foi mostrado, isto é, um movimento repetitivo sem que o aluno tenha a ação de questionar ou argumentar.

    No ensino do Judô aplicado através da perspectiva tradicionalista, percebe-se que a relação professor-aluno é vertical e unilateral, ou seja, o professor é o dono da verdade e só ele é capaz de transmitir conhecimento e o conteúdo que é transmitido (Godim, 2012).

    Este método tecnicista oportuniza uma relação entre aluno e professor um pouco distante, onde seu ensino é exclusivamente feito através da autoridade e da voz de comando, ou certamente fazendo com que o aluno imite seus gestos e seus movimentos (analítico), onde não ocorre nenhum tipo de embasamento teórico para o tal e ainda e de certa forma, toda essa questão mecânica que gera neste método de ensino leva a um ensinamento incompleto, deixando a desejar a melhor aprendizagem da criança com relação ao Judô.

    Ainda com relações a métodos tradicionais do ensino do Judô, Godim (2012) salienta que outra característica correspondente a tal método leva em conta à motivação do aluno, já que em algumas situações, esta é focada apenas em competições, não levando em consideração a faixa etária. As variáveis dos princípios do treinamento desportivo tais como volume e intensidade de treino, são apenas reduzidas, como se pudéssemos apenas “alterar” o treinamento de um adulto para aplicar com os mesmos princípios ao treinamento de uma criança, isso na verdade nada mais seria do que tratarmos a criança como um “adulto em miniatura”.

    Metodologia do ensino da Educação Física

    A Educação Física, para ser inserida como componente curricular e para justificar-se como tal, deve proporcionar aos alunos o contato com um conhecimento próprio e específico da área. Em outras palavras, tem de ensinar algo que se não for ensinado pela Educação Física, não será ensinado por nenhum outro componente curricular, apresentando dessa forma, valor e finalidade ao componente curricular enquanto um fenômeno educativo (Oliveira, 1997).

    Os aspectos metodológicos que envolvem a Educação Física não diferenciam substancialmente das demais áreas do conhecimento. A busca por uma estratégia metodológica que possa dar conta das novas necessidades educacionais é uma constante. O ensino vem historicamente buscando organizar meio e formas metodológicas que sejam colocadas em prática para o entendimento das exigências que permeiam o mesmo (Oliveira, 1997).

    Com relação à metodologia do ensino da Educação Física, destaca-se diversos modelos de ensino, onde diversos autores relacionam com práticas corporais lúdicas, práticas de esportes e práticas livres, isto com estratégias e estilos de ensinos diferentes. A educação física escolar vem se constituindo como prática pedagógica, a partir de diferentes interesses e concepções pedagógicas, portanto, com diferentes concepções de homem, existe uma busca por uma estratégia metodológica que possam dar conta das necessidades educacionais, o ensino vem historicamente, buscando organizar meio e formas metodológicas que possam dar conta de facilitar o processo ensino-aprendizagem.

    Metodologia construtivista: Esta metodologia foi idealizada pelo autor João Batista Freire no ano de 1989, em seu livro Educação de corpo inteiro teoria e prática da Educação Física.

    O objetivo desta metodologia propriamente dito é a motricidade humana, entendida como conjunto de habilidades que permitem ao homem produzir conhecimento e se expressar, isto é, ensinar os alunos os saberes do corpo, ou seja, com consciência de que é corpo. Especificando, seria ensinar as habilidades que permitem as expressões do mundo (Oliveira, 1997).

    Metodologia crítica emancipatória: Esta metodologia foi idealizada por Eleonor Kunz no ano de 1994. Kunz (2001) escreve em seu artigo “Pressupostos de uma teoria educacional crítica para a Educação Física”, sobre a questão do esclarecimento e da emancipação que servem de base teórica para teoria crítico emancipatória. A metodologia de ensino de um esporte é que guia todo processo de ensino aprendizagem, logicamente existem diversas variáveis em volta da metodologia que também influem no processo, mas o método é com certeza o que irá dar respostas dentro da prática (Godim, 2012).

    Spectrum estilos de ensino

    Durante os anos 60 o professor Muska Mosston da Rutgers University desenvolveu uma teoria de relacionamento entre professor e aluno, e a representou através de um diagrama no qual nomeou de spectrum de estilos de ensino (Gozzi e Ruete, 2005).

    O Spectrum é uma teoria que analisa a estrutura e a tomada de decisões em um comportamento de ensino e suas conexões, Mosston (1966) acreditou que a identificação e o esclarecimento desta estrutura seriam exatamente benéficos, tanto para o professor, como para o aluno (Gozzi e Ruete, 2005).

    Essas teorias são interligadas à questão aluno – professor, pois não somente é uma questão pautada no mecanismo, esse método engloba muito a questão da relação entre o aluno e professor, do início até o fim do planejamento de aula.

    O foco principal destes estilos é pautado em algumas questões em relação ao desenvolvimento da aula e sua estrutura, são tomadas seguintes decisões em relação ao objetivo da aula, a sequência a ser utilizada para caracterizar a tarefa, o nível da motivação do grupo e etc.

    Segundo Mosston (1966) o Spectrum foi organizado e denominado em onze estilos com a letra do alfabeto de A a K e estes estilos partem de uma simples reprodução de um modelo a produção de um novo conhecimento, conforme quadro 1, a seguir.

    Quadro 1. Estilos de Spectrum

    Spectrum

    Domínios

    A) Comando
    Esse estilo tem como característica básica o estimulo-resposta, o ensino é centrado no professor e no conteúdo, esse estilo então baseado na reprodução, sendo todas as decisões tomadas pelo professor, desde a fase pré impacto e pós impacto, o professor determina o conteúdo, o local, ordem das tarefas, inicio e fim, intervalo, descreve o exercício, demonstra e informa sobre a qualidade da resposta.

    B) Tarefa
    A característica básica neste estilo é a mudança de certas decisões do professor para o aluno. Esse relacionamento se da em nível de execução, na fase de impacto, ou seja, durante a aula, nesse estilo ainda é esperado que os alunos executem a atividade conforme o modelo estilo comando. A diferença destes estilos esta na questão do aluno do aluno tomar algumas decisões, estas decisões estão no domínio físico.

    C) Recíproco
    Esse estilo tem como característica principal a interação social em parceria. O estilo recíproco é conduzido a um trabalho em pares. Os alunos aprendem a executar a tarefa e receber retroalimentação de seus companheiros, além do professor, esse estilo tem como meta as relações sociais entre pessoas e novas fases de retroalimentação, haverá sempre o aluno executante e o aluno observador e o professor sendo observado por ambos.

    D) Autochecagem
    A característica deste estilo é a mudança da responsabilidade de retroalimentação do professor como nos estilos comando e tarefa ou de aluno como no estilo recíproco para si próprio, O objetivo deste estilo é fazer com que o aluno aprenda a fazer a sua própria retroalimentação usando critérios de execução propiciados pela própria tarefa.

    E) Inclusão
    Neste estilo são planejados para uma mesma tarefa, vários níveis de dificuldades, como interação de incluir todos os alunos nas atividades, de acordo com as possibilidades de cada um, o professor explica a atividade e da algumas opções de níveis de dificuldade, sendo assim o aluno faz uma auto avaliação e escolhe o nível de execução das tarefas.

    F) Descoberta guiada
    A característica deste estilo é o relacionamento particular professor-aluno, no qual a sequência de questões do professor acarreta ou ocasiona uma linha de respostas do aluno em um processo convergente levando o aluno a descobrir o conceito desejado, sendo este o primeiro estilo na qual o aluno descobre novos conceitos.

    G)
    Solução de problemas Convergente
    Esse estilo visa propor um problema que terá como única solução, tendo como objetivo descobrir a solução para um problema, para esclarecer uma questão, chegar a uma conclusão, empregando procedimentos lógicos, raciocínio e pensamento, sendo encaminhada a resposta para uma única solução.

    H) Solução de problemas Divergente
    A característica básica deste estilo é a busca de resposta múltiplas e divergentes contribuindo para o maior relacionamento do aspecto motor e cognitivo, esse estilo tem como objetivo compreender e perceber a estrutura da atividade, desenvolver a criatividade e a habilidade de verificar varias soluções para um problema determinado.

    I) Programa Individual
    Já este estilo prevalece na independência do aluno, através da individualização do programa baseado no conteúdo decidido pelo professor. Neste estilo o professor planeja a área geral do conteúdo, cabendo ao aluno escolher o tópico. Este estilo requer um caminho altamente disciplinado para desenvolver as capacidades criativas do aluno.

    J) Iniciado pelo aluno
    Este estilo tem a característica básica do aluno conduzir o seu ensino e sua aprendizagem, na fase de pré impacto as decisões são todas dos alunos, cabe ao professor ouvir, observar e alertar sobre decisões.

    K) Auto Ensino
    O ultimo estilo, diz respeito à ausência do professor, o objetivo é o aluno ensinar-se a si mesmo no caso o aluno tomara todas as suas decisões.

    Fonte: Mosston (1996)

    Metodologia do ensino de lutas

    Ao saber que indivíduos diferentes, ao ingressarem nas aulas de lutas têm níveis de habilidades e de conhecimentos variáveis, experiências corporais e de vida heterogêneas, aptidões e características pessoais diversas e variedades na sua expectativa de aprendizagem, o professor deve assumir que a mesma informação transmitida não tem o mesmo sentido, e o mesmo significado para os praticantes, bem como proporciona níveis diferentes de motivação entre eles (Tani, 2006).

    É preciso ter em mente a todo o momento que a luta é um jogo de oposições é composta pela aplicação de habilidades e ações motoras em um ambiente aberto. Desse modo, na maioria das vezes praticamente precisa dar atenção aos gestos exitosos de seus adversários contra eles, para que possa elaborar estratégia de bloqueio e contra ataque. Com isto, deve-se privilegiar a prática dos golpes e das técnicas feitos de modo aberto, em movimento e por vezes, imprevisível no processo de ensino e aprendizagem (Gomes et al, 2008).

    As metodologias do ensino de lutas englobam por diversas vezes as capacidades motoras e físicas de seus praticantes, desta forma, é extremamente essencial que o professor observe estas questões no aluno, pois assim, poderá dar inicio ao ensino de lutas.

    Algumas propostas de ensino de lutas se destacam atualmente nas literaturas com relação a estas modalidades de combate (Enares, 1996), conforme quadro 2, a seguir.

    Quadro 2. Etapas e metodologias de iniciação a lutas

    Etapa Fase Idade(anos) Estrutura de Metodologia
    Atividade
    Pré- Luta Aproximação 6-8 Jogos de Oposição Global instrutiva
    Macrogrupal Jogos de Luta

    Atividade de luta Global instrutiva
    Pré- Luta Aproximação 8-10 Jogos de Oposição Participativa
    Macrogrupal Jogos de Luta

    Luta Aproximação Dual 10-12/13 Jogos de luta Global-analítica
    Modalidade esportiva Instrutiva-partici-
    de combate pativa

    Luta Domínio Técnico- 12/13-15 Modalidades Esportivas Mista Partici-
    tático de combate pativa-eman-
    tático de Combate cipatória

    Luta Aperfeiçoamento +16 Modalidades Esportivas Miata Emanci-
    de Combate patória
    Adaptado por Franchini e Dell Vecchio (2012)

    Além desse método composto por Enares (2006), outro autor também propõe o ensino geral de lutas através de jogos, sendo este ensino adaptado ao ensino do Judô em um processo mais especifico. Olivier (2002) propõe as seguintes maneiras de ensinar luta.

    Quadro 3. Categorias de ensinar luta

    Categorias – Jogos de Rapidez e atenção

    Maneiras – Os objetivos são estimular as movimentações intensas com alternâncias dos papeis de atacante e atacado e que evitem o contato próximo com o colega (este jogo se afasta um pouco da modalidade de Judô.)

    Categoria – Jogos de Conquista de Objetos

    Maneiras – Objetivos de aproximar os adversários, mas as principais ações de oposição são feitas em direção a objetos a serem conquistados.

    Categoria – Jogos de Conquista de Territórios

    Maneiras – Estes jogos implicam em aproveitar e diversificar as ações desestabilizadoras para chegar a seus fins. É preciso puxar, carregar, fazer virar, esquivar-se, desviar-se e resistir.

    Categoria – Jogos para Desequilibrar

    Maneiras – Estes jogos tratam de agir em direção ao adversário, sem mediação de objeto ou de território. Os papei de ataque e defesa são alternados ou simultâneos.

    Categoria – Jogos para Reter, Imobilizar e se Livrar

    Maneiras – Nestes jogos é feito um enfrentamento variado e que obrigam o corpo-a-corpo. São jogos para resistir e livrar-se, os papeis são separados e combinados

    Categoria – Jogos para Combater

    Maneiras – Este último jogo estimula o combate completo, sendo que as condutas de ataque e resistência são concomitantes, este se torna indispensável encadear e coordenados todas as ações necessárias ao combate.

    Fonte: Olivier (2002)

    Ainda, enquanto ao movimento observável, não há execução de ações cíclicas nas lutas. Em geral são registradas ações discretas, com início e fim determinados, ou seja, os golpes têm características temporais e espaciais bem definidas. Por exemplo, no Judô e em outras modalidades de domínio que contemplem a projeção, a aplicação das técnicas pode ser dividida em três etapas: 1) Desequilíbrio, 2) encaixe e 3) projeção propriamente dita (Franchini; Del Vecchio, 2008).

    Metodologia da pesquisa

    A presente pesquisa é do tipo exploratória e tem como característica e objetivos principais o aprimoramento das idéias, suposições e comprovação de hipótese, onde estão envolvidos levantamentos bibliográficos, de modo a estimular a compreensão do problema estipulado (Gil, 2002).

    Caracteriza-se por uma pesquisa de abordagem qualitativa, buscando-se a compreensão da totalidade amostral, atingindo o conhecimento do fenômeno estudado, fazendo as relações das estruturas sociais e vida cotidiana (Minayo, 1998).

    Considerações finais

    Em constante busca de um melhor método para o ensino do Judô, podemos entender que nesta pesquisa temos poucas informações no que se refere a um modelo específico de ensinar Judô.

    Algumas metodologias com características instrutivas e educativas visam um melhor ensino e aprendizagem na modalidade de Judô, por terem suas visões mais pedagógicas e críticas a cerca do ensino.

    O processo de ensino e aprendizagem tem uma durabilidade instável, pois na medida do tempo em que o processo de crescimento da criança vai acontecendo, perde-se um pouco o contato com o professor, por muitas vezes fazendo com que o professor tenha que se adaptar a novas elaborações de como intervir e planejar uma aula mais educativa.

    Além de todas estas questões metodológicas propostas para ensinar o Judô, ainda é muito escassa a literatura sobre ensino do Judô, não existindo um processo metodológico coerente e certo para ensinar Judô, os professores acabam por muitas vezes ensinando da maneira antiga, os métodos tecnicistas e pouco procuram se atualizar neste tão importante processo.

    Bibliografia

    Araújo, R. V. (2005). Judô: da história à pedagogia do esporte. Monografia (Licenciatura em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

    Baptista, C. F. S. (2003). Judô: da escola à competição. 3ª ed. Rio de Janeiro: Sprint.

    Franchini, E. (1998). Ensino-aprendizagem do Judô. Santo André: Corpoconsciência, n. 1, p. 31-40.

    Franchini, E.; Vecchio, F. B. D. (2012). Ensino de lutas: reflexões e propostas de programas. São Paulo: Scortecci.

    Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª ed. São Paulo: Atlas.

    Gondim, D. F. (2007). Aspectos metodológicos aplicados ao ensino do Judô para crianças. Disponível em: http://www.ligarsdejudo.com.br/2007/noticias/tcc_denis.pdf. Acesso em: 17/03/2014.

    Gozzi, M. C. T.; Ruete, H. M. (2005). Identificando Estilos de Ensino em Aulas de Educação Física não escolares. Campinas/SP: Revista Mackenzie de Educação Física, v. 5, n. 1, p. 117-134.

    Kano, J. (1986). Kokodan Judo. Estados Unidos: KODANSHA America.

    Minayo, M. C. (1998). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 5ª ed. São Paulo: HUCITEC.

    Mosston, M. (1966). Teaching Physical Education. Columbus. Merril.

    Oliveira, A. A. B. (1997). Metodologias emergentes no ensino da Educação Física. Maringá: Revista da Educação Física /UEM, v. 1, n. 8, p. 21-27.

    Olivier, J. C. (2000). Das brigas aos jogos com regras: enfrentado a indisciplina na escola. Porto Alegre: ArtMed.

    Roza, A. F. C. (2010). Judô Infantil: uma brincadeira séria! São Paulo: Phorte.

    Ruffoni, R.; Beltrão, F. (2005). Análise Metodológica na Prática do Judô. The FIEP Bulletin, v. 75, p. 62-65.

    Santos, S. G. (2009). Judô – Filosofia Aplicada. Florianópolis: UFSC.

    Virgílio, S. (2002). Conde Koma: o invencível yondan da história. Campinas: Átomo.

  67. Conteúdo muito amplo para abordagem em 20 minutos como o Sensei bem colocou no início da aula.
    Pela importância do assunto na formação do treinador, visto periodização como forma sistemática de macro organização do treinamento considerando-se diferentes estímulos em macro ciclos, meso ciclos e micro ciclos, gostaria de me aprofundar no assunto, pois, como postulante a treinador vejo como imprescindível a preparação do treino para potencializar os resultados.
    Nesse sentido solicito a gentileza do Sensei na indicação de material didático ou cursos em que possamos agregar mais conhecimentos sobre o assunto.

  68. É realmente temerária a ação isolada do treinador no processo de perda de peso dos atletas.
    Particularmente sou contra essa atitude, mesmo com equipe multidisciplinar, pelo risco que representa para a saúde tal procedimento, se não de imediato, no futuro.
    A vida de atleta é relativamente curta e não vale a pena conviver com as possíveis consequências da utilização de métodos para perda de peso durante para o resto da vida.
    Sou adepto a mudança de categoria e admiro muito atletas que assim decidiram e se dedicaram mais nos treinamentos, aprimorando a técnica e a tática para enfrentar os desafios da nova categoria, tais como nos exemplos citados: João Derly, Mayra Aguiar, Vitor Penalber, dentre muitos outros.

  69. Obrigado Sensei pelas indicações da literatura e dos cursos.

  70. Muito esclarecedor a abordagem sobre conhecimento declarativo e processual e a importância desse conhecimento para aumentar a capacidade técnica do atleta, agora de forma mais consciente.

  71. Perfeita analogia do goleiro na área adversária com o atleta no shiai-jo para esclarecer e facilitar a compressão dos conceitos de estratégia e tática e também a relação e utilização correta; a primeira no treinamento e a segunda na competição.
    Nesse contexto o bom planejamento estratégico do treinamento é capaz de preparar o atleta para que durante a competição disponha de uma variação tática que possibilite superar oponente. Treinar renraku-renka-Waza e kaeshi-waza é um bom exemplo dessa estratégia para aumentar o repertório ampliando as possibilidades táticas.

  72. Muito legal a parte da aula em que o professor Maduro aborda os exemplos de estratégia em luta, bem esclarecedor!

  73. O brasileiro não tem a cultura do planejamento desenvolvido, isso é fato. A falta de conhecimento, o imediatismo, falta de objetivos claros e outros fatores contribuem para isto.
    Nesse contexto o tema abordado neste módulo, bem como nos anteriores, traz luz para que possamos quebrar esse paradigma a partir do conhecimento e sua aplicação em estratégias para alcançar melhores resultados na boa prática do judô, quer seja educativo, quer seja em competições.
    É comum vermos treinos sem metodologia, ministrados da forma empírica com resultados que dependem fortemente do talento nato e individual. Acredito que um treino devidamente planejado, com objetivo definido, utilizando-se da ciência em benefício do esporte, potencializará os resultados pela possibilidade de acompanhamento periódico e comparativo dos resultados esperados/ alcançados, aplicando-se esses conhecimentos na estratégia dos treinamentos para que o atleta tenha uma eficiente variação tática na competição.

  74. 15/09/2020
    Responder

    Sensei Luís Maduro, a sua pesquisa de doutorado nos mostra que a integração entre os aspectos científicos e práticos se fazem uniformes para um bom ensino embasado nos moldes da doutrina esportiva especificamente para o judô.

  75. 15/09/2020
    Responder

    Boa conclusão na abordagem..para que possamos entreter o aluno com os aspectos fundamentais de forma que a interação seja mútua entre professor e aluno.

  76. 15/09/2020
    Responder

    O treinador ou professor um dia foi aluno, a cada dia aprendemos algo novo. E para um judoca iniciante é fascinante está vivenciando nos moldes do caminho suave….cabe a nós docentes buscar e tentar sempre passar o melhor que temos à oferecer para um aprendizado de excelência e qualidade ao mesmo tempo levando prazer para todos!

  77. 15/09/2020
    Responder

    Excelente aula , sendo que a cada módulo e aula do curso o aprendizado está em sintonia com as metodologias aqui passadas.

  78. 15/09/2020
    Responder

    Aula esclarecedora professor, por mais que as agremiações e treinadores tendem a elaborar e conduzir os processos de perda peso para os atletas, os cuidados a serem tomados nesse caso são primordiais visando o comportamento do atleta pós trabalho elaborado e suas consequências.

  79. 15/09/2020
    Responder

    Grato pelas indicações sensei.

  80. 15/09/2020
    Responder

    O planeamento das Táticas e técnicas para um bom rendimento são primordiais no resultado final.

  81. Adorei essa terceira aula!
    Ela nos traz de forma leve pontos importantes no que diz respeito a estratégia e tática, de como e onde usar cada uma delas.

  82. 16/09/2020
    Responder

    Aula esclarecedora e interessante, pela forma que identifica e difunde os pontos táticos e estratégicos para uma elaboração minuciosa de como devemos aplicar em aula.

  83. 16/09/2020
    Responder

    O Judô foi concebido pautado em valores éticos e humanitários
    profundos, os quais buscam uma prática de equilíbrio entre o corpo
    e a mente, esboçado na disciplina, nos movimentos harmoniosos da
    física comosmológica, no esquecimento do “eu individual”, na
    superação do aspecto marcial, na fraternidade, no desenvolvimento
    interior, na estética e eficiência, na superação da força, dentre
    outros princípios antigos e firmemente alicerçados na cultura milenar
    japonesa, por que não dizer dos mestres orientais.

  84. 16/09/2020
    Responder

    A junção entre o conhecimento declarativo e conhecimento processual, viabilizam uma combinação de técnicas e táticas, coordenadas para uma ótima performance com resultados esperados durante a sua execução.

  85. 16/09/2020
    Responder

    Um bom Planejamento estratégico não só antes mas também durante as competições são primordiais. Excelente abordagem sensei.

  86. 16/09/2020
    Responder

    Ótima abordagem sensei Maduro na formação tática individual de cada atleta.

  87. Com certeza, todos devemos entender e saber da melhor forma agir em situações complexas entre professor e aluno. A interação e a paciência são de suma importãncia..

  88. Sensei Luiz , ótima aula. O treinador sempre foi e será nossa inspiração e porto seguro, sempre nos guiando e ajudando da melhor forma possível para nossa formação. O respeito mutuo entre treinador e aluno é muito importante para a formação do caráter.

  89. Interessante, família do seoi

  90. Excelente aula, bastante didática e explicativa, esclareceu algumas duvida, a parte de periodização é muito importante para todos os atletas, tento aplicar este processo à algum tempo em mim e surtou bastantes resultados. Obrigado professor!

  91. excelente aula e nos faz refletir sobre as melhores estratégias e formas de organizarmos nossas aulas e/ou treinos.

  92. Muito obrigado sensei pelos feedbacks. Através destas discursões e colocações fica claro a necessidade de um maior aprimoramento de todos nós nestes aspectos mais técnicos e teóricos, pois pode nos ajudar bastante nas nossas intervenções e no entendimento das necessidades de nossos alunos/atletas.

  93. Seoi Nage e ipon Seoi são técnicas de arremeco parecidas e perfeitas, ipoon defesa e ataque, Seoi ataque.

  94. Ipoon Seoi Nage uma perfeição em técnica de arremesso e a mais temida por todos atletas de judô e Jiu-jitsu

  95. A família Seoi sempre eficiente e perfeita nos quesitos principais do Nage No kata, desequilíbrio, encaixe, arremesso.

  96. Sou suspeito em comentar sobre o Tai Otoshi, pois, acredito que seja eficiente no momento de kusishi e Ô-te-sucure para um kake perfeito.

  97. 19/09/2020
    Responder

    Técnicas normalmente usadas por competidores dos pesos mais leves.

  98. 19/09/2020
    Responder

    Ippon seoi nage uma das técnicas mais surpreendente do judô. Pois exige uma agilidade e precisão de quem à aplica.

  99. Oitava técnica do dai-ikkyo.
    Muito eficiente. Exige muita mobilidade e velocidade.

  100. Ippon = único, Seoi = ombro, Nague = arremessar.

  101. O Seoi-otoshi tem maior intensidade na projeção pelo fato do ajoelhar. É um técnica que requer um cuidado especial na orientação.
    Muitos atletas lesionam o joelho por aplicar essa técnica de forma inadequada.

  102. Umas das técnicas de minha preferência. Quando encaixa é ippon na certa.

  103. O Uchi-mata é uma técnica muito eficiente mas exige perfeição no kuzushi.
    Como exemplo vejamos o que aconteceu com Teddy Riner no Grand Slan de Paris, quando perdeu a invencibilidade de quase 10 anos e 154 lutas para o japonês Kokoro Kageura, justamente com um Uchi-mata-sukashi.

  104. Excelente aula professor! No geral muitos atletas só optam pela perca de peso por influencia do treinador, como mostrado nos gráficos e na aula, por isso a responsabilidade do treinador tem que ser dobrada em quando for dar este tipo de orientação para o aluno, que por muitas vezes leigo realiza tal processo sem conhecimento sobre tais praticas e acaba passando por situações horríveis, como atleta já vivi algo parecido, no mais foi mais uma ótima aula explicativa, obrigado.

  105. Técnica de defesa onde usa-se os princípios da força do adversário contra ele mesmo.

  106. Técnica de quadril koshi waza, kusishi, ô-te-sucure, kake.

  107. Única técnica do Nage No kata que tem a pegada encima encaixe do quadril na altura da coxa

  108. 15 técnicas de projeção demonstrada com exatidão perfeição

  109. Muito bom, podemos rever nossas formas e métodos de treinos para buscar melhorias.

  110. Perfeito katame waza
    Os Mestres demonstraram katame no kata com muita segurança e experiência perfeição.

  111. Técnica de projeção muito usada em competição por ser eficiente .

  112. Domínio das mangas giro e encaixe do quadril deixando o oponente sem chance de contra ataque

  113. Tecnica de Quadril

  114. Desequilibrio encaixe de quadril apoiando a mao nas costas, muito cuidado para não fazer o-Goshi pois são muito parecido o que diferencia e o quadril e a pegada nas costas.

  115. Pegada no obi pela costas

  116. Técnica de contra ataque do Ko-uchi-gari, muito interessante.

  117. 1ª técnica do nague no kata.

  118. 7ª técnica do Dai-gokyo. Difere do Uki-otoshi no kuzushi e no shintai.

  119. Técnica extra Go Kyo. Difere do sukui-nague no kake.

  120. É uma técnica de te waza pela abrangência, mas tem a ação significativa da perna para o projeção.

  121. Aqueles atletas baixinhos já se identificam com essa técnica

  122. Gostaria de saber se essa metodologia utizada sensei Maduro, viria de alguma bibliografia, artigo que foi aplicado diretamente no judô?

  123. Técnica do nage-no kata.

  124. Interessante a variação para defesa do uchi-mata e o-soto-gari.

  125. Técnica banida das competições e a meu ver tornou o judô mais técnico.

  126. Também banida das competições pela FIJ.

  127. A técnica preferida do lendário Sugata Sanshiro.

  128. Muito bom, muita técnica apurada.

  129. Boa noite!
    Essa técnica não ficou clara!

  130. Técnica preferida do Shihan Jigoro Kano.

  131. Precisão e Perceição sempre.

  132. Admin bar avatar

    Vejo a periodização como um assunto se muita importância para um centro de treinamento, pois, nos professores devemos nos atentar a um cronograma de atividades e treinamento legal para cada tipo de turna de acordo com o nível, para assim obtermor de forma mais eficiente o desenvolvimento dos atletas.

  133. Admin bar avatar

    Excelente abordagem sobre os tipos de perda de peso e suas consequências, no judô vemos de forma muito comum esse tipo de prática de forma irregular.

  134. Módulo 1, Aula 1

    A apresentação desta aula foi como, em câmera lenta e em 3ª pessoa, reviver os métodos pelos quais passei enquanto atleta/estudante de Judô. O aprendizado das técnicas a partir da explicação dos senseis em diferentes etapas da vida. Muito bom!!
    Minha dúvida: Acerca do método confrontação (ensino do Judô através de questões-problema) e almejando o ensino do Judô numa observação sensível a este tempo/era, é possível pensar o ensino do Judô com o uso de Metodologias ativas como processo de ensino/aprendizagem das técnicas/competição, da história/filosofia e da movimentação física? Isto é, pensar o judoca aprendente como protagonista de seu aprendizado do Judô sob os três métodos do Shiran Jigoro Kano (2008) – Método de luta (arte marcial), método de treinamento (educação física), método de treinamento mental (filosofia e princípios).

  135. Módulo 1, Aula 2

    Tomando emprestado o que Capello, citado por Pacheco (2005) e levando em consideração este período de Pandemia com alta produção e aprendizagem via internet, o que podemos pensar sobre ser esponja a partir de vídeos, de grupos de redes sociais, de palestras e ligações síncronas, dentre outros formatos de ensino/aprendizagem/discussão em torno do Judô? Há aí uma certa agregação de práticas que podem servir para que o Sensei adeque aos seu treino o que viu nos streamings. Exemplo disso são os regulares vídeos que a página da Kodokan tem ofertado para o mundo via Youtube.

  136. Módulo 1, Aula 3

    Existe algum modelo para fazer uso do “velocímetro” (atividades fechadas para abertas & atividades de ensino para de aplicação) neste período de pandemia do CoVID-19, de modo que o atleta seja preparado para uma competição em 2021, assim que as competições retornarem?

  137. Módulo 2, Aula 1

    Essa aula apresentou etapas muito importantes para a perspectiva de atletas de Judô em diferentes prazos. Muito esclarecedor a planejamento para treinos a longo prazo e para diferentes idades. Igualmente, gostei muito da prospecção dada à sequência de trabalho recomendado para a sessão de treinamento. Muito bom mesmo. No entanto, uma vez que não há espaço hábil para tratar do tema em aulas de 20 minutos, gostaria de ver esmiuçado os microciclos ordinários, manutenção, regenerativos e personalizados. Há indicação de material para isso?

  138. Módulo 2, Aula 2

    Pergunta 1: Muito interessante a aula sobre perda de peso. Lembro do período em que competia e perdia peso também.. Bom, vimos que o período de perda de peso praticado por atletas é inversamente proporcional ao período ideal de treinamento físico em se tratando de competição (e pré-competição). Pergunto: como sanar esse desequilíbrio em atletas que são amadores e pleiteiam entrar no hall de seleções estaduais e nacional mas que, também proporcionalmente, não têm condições de ter uma equipe de nutricionista, nutrólogo, preparadores físicos, etc…?

    Pergunta 2: Outra questão é: Ano passado, ficou muito famoso no Netflix um documentário que versava sobre a dieta praticada por guerreiros da Grécia antiga. Uma dieta apenas com a presença de proteína vegetal – o que hoje se aproxima da alimentação vegana. É comum observarmos que os praticantes do veganismo são mais magros do que os que não são. Fica a minha dúvida: Existe algum tipo de material que lide especificamente com explicações entre o veganismo e os praticantes de Judô para competição?

  139. Módulo 2, Aula 3

    Me identifiquei bastante com a dúvida sobre a periodização para atletas do Master/Veteranos, sobretudo no que diz respeito ao plano para a volta às competições após a pandemia.

  140. Módulo 3, Aula 1

    A respeito da citação de Marina (1995) acerca do conhecimento… Como podemos nos desfazer de conhecimentos já sedimentados quer por tê-los aprendido errado (ex: Sode Tsuri Komi Goshi com o cotovelo projetando-se para dentro) ou causado por mudanças de regras (Ex: Morote Gari em competições)?

  141. Módulo 3, Aula 2

    É possível utilizar a metáfora de que a estratégia está relacionada a uma ação parada, enquanto a tática ser entendida como uma ação em movimento? Ex: a estratégia, relacionando-se ao treino, requer um processo de ensino mais pausado e menos dinâmico acompanhado de repetições dos exercícios a fim de antever as ações que virão durante a competição. E por estar na competição, a tática é considerada ação em movimento porque põe o conhecimento processual em estado de vigília durante os 5 minutos regulamentares da luta. Esse metáfora pode ser utilizadas?

  142. Saudades do Dojô, conforme a descrição de Hyams.

  143. Roda com quadril.

  144. Grande quadril.

  145. Tokui Waza do meu Sensei Carlinhos Cavalcanti.

  146. esse link do analítico com o global é ótimo pra todos!

  147. Muita ralidade na ótima apresentação.

  148. Primeira técnica do grupo ashi-waza do nague no kata. Esse vídeo é excelente. Mostra todos os detalhes, principalmente o kuzushi.

  149. Chamou a atenção neste vídeo o trabalho do uke. A técnica que ele usa; uma pequena concavidade no corpo para não quicar na queda.
    Muito bom.

  150. Contra golpe com de ashi harai na perna oposta.

  151. Excelente o detalhamento da técnica.

  152. 08/10/2020
    Responder

    Achei que as variações deixaram a técnica mais rica

  153. excelente Kata técnicas perfeitas

  154. É opcional a perna que vai segurar?

  155. Pra mim também não. Seria bom uma tradução ou legenda.

  156. Oss Sensei Bayard
    O senhor comentou que se deve repor a perda de liquido do treinamento apos o mesmo
    Isso quer dizer que nao pode repor durante o treino ?

  157. Não deu pra entender direito, ainda mais por não ter uma tradução.

  158. E uma pena não podermos ter aulas presenciais assim poderiamos nos aprofundar mais em assuntos tão importantes para nos judocas

  159. 28/10/2020
    Responder

    Gostaria de me inscrever no Curso de Capacitação de Professores

    • Admin bar avatar
      03/11/2020
      Responder

      Olá Vinicius, tudo bem? Acesse a página principal do curso e clique no botão “faça este curso”.
      Qualquer dúvida, estamos à disposição.

  160. 29/10/2020
    Responder

    Olá quero me escrever no curso de capacitação de professores

    • Admin bar avatar
      03/11/2020
      Responder

      Olá Alírio, tudo bem? Acesse a página principal do curso e clique no botão “faça este curso”.
      Qualquer dúvida, estamos à disposição.

  161. Boa tarde!
    É possível disponibilizar aqui as referências dos artigos científicos para a leitura?
    Agradeço!

  162. Sentir falta da explanação sobre articulação coxo femural, que também é muito solicitada na prática do judô.
    Embora essas lesões não tenha um grande número como ombro e joelho muitos adeptos sofrem com problemas no quadril.

  163. Admin bar avatar

    BEM ILUSTRADO E SIMPLIFICADO EM VISTA DA EXTENSÃO DOS ASSUNTOS TRATADOS E TORNA-SE NECESSÁRIO REVER ESTES ASSUNTOS EM VISTA DOS TREINOS EM DIVERSAS FASES ETARIAS E CONDIÇÃO SOCIAL POIS ALGUNS PRATICANTES SÃO DE PROJETOS SOCIAIS E AS CONDIÇÕES SÓCIO ECONOMICAS INFLUENCIA NO DESGASTE MUSCULAR E RESISTÊNCIA DEVIDO JUSTAMENTE A ALIMENTAÇÃO E CONDICIONAMENTO NECESSÁRIO SE FAZ ENTENDIMENTO MELHOR DAS CONDIÇÕES FISIOLOGICAS DESTES ATLETAS NOS DANDO FERRAMENTAS PARA ELABORAÇÃO DE TREINAMENTOS ESPECIFICOS

  164. Admin bar avatar

    MUITO BOA A ESPLANAÇÃO E CONCORDO PLENAMENTE COM A CONDIÇÃO CULTIRAL NA ALIMENTAÇÃO PRINCIPALMENTE EM ATLETAS NOVOS E COM GRANDE POTENCIAL PARA O JUDO CONTUDO SALIENTO TAMBÉM EM VISTA DE LABORAR COM ATLETAS JOVENS DE PROJETO SOCIAL COM CONDIÇÕES SOCIO ECONOMICAS BASTANTE TÊNUES QUE APRESENTAM DEFICIÊNCIAS ALIMENTARES E ESTAS CONTRIBUEM PARA A BAIXA CAPACIDADE NO DESENVOLVIMENTO , PENSO QUE LEVAR AOS PAIS E RESPONSAVEIS UMA ESPLANAÇÃO COMO ESTA CONCERTEZA IRIA CONTRIBUIR PARA UMA VISÃO MELHOR NA CONDIÇÃO ALIMENTAR E DIMINUIIR A QUESTÃO CULTURAL QUE ATRAPALHA EM MUITO

  165. Admin bar avatar

    MUITO BOM O MODULO 1 DO CURSO TECNICO DE CAPACITAÇÃO PARA PROFESSORES

  166. Admin bar avatar

    Aula extremamente produtiva.

  167. MUITO BOM! MUITO BEM EXPLICADO E DIDÁTICO.

  168. boa explicação por sinal muitas lesões que ocorre no judo

  169. muito bom mais conhecimentos

  170. Muito elaborado e explicativo , um assunto extremamente importante para o uso no judô no dia dia ou até mesmo uma forma de até evita uma lesão futura, sabendo se que o estudo da anatomia do corpo vem adquirida junto com conhecimento da movimentação e combinações de golpes praticados no judô ou em outras artes. Um assunto bom e bem explicado.

  171. Explicação muito boa, sempre bom conhecer mas sobres esse assuntos ,nao só para manter seu ritmo competitivo 100%, mas também para manter um saúde saudável e um suporte físico forte, sem ter que se submeter a extremos.

  172. Gostei muito da Metodologia e Didática aplicada no Módulo.
    Acredito que o Curso venha inspirar aqueles Professores que ainda não possuem a Graduação em Educação Física, entendendo a importância desse conhecimento para o desenvolvimento de um bom trabalho.

  173. Muito bom é bem explicativo, Serve como base para nós buscarmos mais conhecimentos.

  174. Muito interessante, excelentes explicações!

  175. Muito bom, porém acredito ser um assunto muito extenso para explanar em tão pouco tempo.

  176. Muito bom o módulo 01, porém não estou conseguindo abrir o módulo 02!!!

    • Admin bar avatar

      Jorge,

      Estava com este mesmo problema, teclei ctrl+F5 resolveu meu problema e consegui finalizar os módulos.

  177. Uma boa explanação do tema, com exemplos práticos do nosso cotidiano no tatame.
    Parabéns!

  178. NOVAS INFORMAÇÕES E MAIS CONHECIMENTO SOBRE O TEMA! MT BOM!

  179. Apesar da complexidade do assunto o Sensei Bayard conseguiu simplificar ao máximo nos passando uma noção da anatomia e biomecânica importante para aplicação no nosso dia a dia.

  180. Admin bar avatar

    Um tema especifico, porém pela capacitada do professor ficou fácil o entendimento.

  181. Admin bar avatar

    Excelente esse primeiro momento.

  182. Muito bom, excelente.

  183. Informações bastante relevantes para os professores de judô.
    Muito bom!

  184. A explanação é excelente! O projeto, idem! Contudo quero chamar a atenção para alguns aspectos que percebi na live sobre este módulo.
    O objetivo do curso é formar professores de judô, e não técnicos de judô.
    Nem todos os participantes possuem formação em ed. física
    Nem todos os praticantes de judô serão ou querem ser atletas
    Eu fiz um questionamento sobre orientações justamente sobre o grupo não competitivo que sequer foi mencionado.
    Os não atletas fazem parte de um grupo maior que os atletas, para ser professor de judô é preciso estar preparado para ajudar essas pessoas (crianças, adolescentes, pessoas mais velhas que querem se favorecer dos exercícios da luta, e mesmo adultos que não querem competir)
    Acho importante ressalltar esse grupo amplo, para não ficar focando apenas o grupo competidor de alta performance e os professores/técnicos.
    As crianças, por exemplo, sequer foram citadas, assim como os mais velhos.
    Sou professor de judô, mas não sou técnico. Trabalho com crianças e adultos que não tem interesse em competir.
    Espero ter contribuído com o projeto excelente, por sinal, da FEBAJU.
    Nós, professores de judô, que não somos profissionais de ed. física, há muito desejávamos uma oportunidade dessas, e ela, enfim chegou.
    Parabéns a vocês!
    Grato,
    Carlos Nestor Moreira

  185. Excelentes explanações, de forma sucinta e clara, transmitiu o conteúdo de forma exemplar.

  186. Admin bar avatar

    Dada à complexidade do tema e tendo em vista que não sou da área de educação física, senti a necessidade de buscar informações mais detalhadas, para um melhor entendimento do assunto. Deste modo, no estudo da biomecânica básica, venho lendo, desde o curso para graduação, o livro “Biomecânica Básica” de Susan J. Hall. Escrito em uma linguagem fácil, tem me ajudado muito.

  187. Direto ao ponto. Obrigado.

  188. Perfeito, forte abraço.

  189. Excelente explanação sobre o tema!!!!

  190. Excelentes explicações!

  191. Admin bar avatar

    Vídeos muito bem explicados para o conhecimento das técnicas

  192. Devido ao curto espaço de tempo infelizmente não podemos mergulhar mais fundo no assunto mas excelentes informaçoes oss

  193. Uma das principais coisas que eu aprendi é que se não tiver certeza de quem deve receber a pontuação técnica ou a penalidade, é melhor não tomar nenhuma decisão e deixar que o combate continue. (FAIR PLAY).

  194. Excelente aula, Prof. Maduro!
    Totalmente à altura do seu nível.

  195. Aula muito boa, material muito rico.

  196. Excelente aula!!!!!

  197. Excelente explanação Sensei. Me auxiliou muito na melhor compreensão do contexto da origem do judô. Parabéns.

  198. Excelente aula, muito bom!

  199. Excelente orientação para eficiência na transmissão do conhecimento.
    Tenho certeza que se aplicado corretamente vai elevar o nível do judô Baiano.

  200. módulos 1 e 2 muito bom com um excelente conteúdo.

  201. Infelizmente não estou conseguindo abrir às aulas.

    • Admin bar avatar

      Cristiane,

      Estava com este mesmo problema, teclei ctrl+F5 resolveu meu problema e consegui finalizar os módulos.

  202. muito bom matéria muito rico em conhecimentos

  203. muito rico em conhecimentos

  204. excelente aula muito produtiva

  205. Parabens Prof. Maduro! Excelente módulo, excelente didática!
    Abraços, Osu

  206. Aula muito boa, explicação excelente

  207. Parabéns sensei Maduro, conteúdos bastante significativo é importante.

  208. Ser treinador não é tarefa fácil, aperfeiçoar sempre.

  209. O Judô é um esporte com base marcial, além da sua filosofia, a sua metodologia ajuda bastante no comportamento do ser humano. Interesse colocação sensei, ótima aula

  210. Excelente aula, entender a fisiologia de cada aluno, tipo de treinamento, avaliação e recuperação. Não é só ir lá treinar, mas está envolvido sobre todos os aspectos que abrange o judô

  211. Parabéns, Prof. pela belíssima aula. Gostaria que na live, o Senhor falasse um pouco da diferença em Metodologia e Didática de Ensino, algo que muitos profissionais acabam se confundindo. Att. Prof. Wendell Monteiro

  212. Olá, já assistir as duas aulas do Módulo 2 , mas não apareceu nenhum ícone para completar o módulo. Gostaria de uma orientação.

  213. Admin bar avatar

    Conteúdo precioso para o aprendizado. Parabéns.

  214. Parabéns para FEBAJU.
    Grande iniciativa.

  215. Admin bar avatar

    Excelente aula! Sou totalmente a favor do FAIR PLAY, pois em muitas ocasiões, nós competidores temos alguns momentos duvidosos e que as vezes não fica clara as medidas tomadas. Muito bom.

  216. Muito bom eu participei dos 5 webinares

  217. FEBAJU sempre na frente. Parabéns pela iniciativa de trazer conhecimento para os professores.

  218. Excelente abordagem Sensei. Simplificou e facilitou o entendimento.
    Com a regra tão clara e objetiva a que atribuir tantos erros de arbitragem, como as que vimos nos vídeos apresentados?

  219. Tecnica preferida das crianças

  220. não consigo depois que assisto marca a presença não aparece para confirmar

  221. depois que eu assisto não aparece para eu confirmar que assisti ai fica como eu nao assisti

  222. Parabéns Carine. Passou de forma clara e objetiva o básico da gestão financeira.
    As ações e procedimentos que envolve planejamento, análise e controle das atividades financeira é um grande desafio para qualquer empreendedor. Nesse sentido, ter uma boa assessoria e conhecer ferramentas de gestão é fundamental para a vitalidade do empreendimento.
    Outro ponto bastante delicado que você abordou é o Princípio da Entidade que dificilmente é respeitado, principalmente nos pequenos negócios. É difícil separar PF e PJ dificultando ainda mais o controle de gastos, comprometendo o fluxo de caixa.

    • Obrigada Arlindo! Que bom que você gostou da aula. Isso mesmo, o princípio básico é um dos mais violados na gestão, comprometendo todo o resultado.

  223. No meu caso também não consigo finalizar a aula.
    Não aparece o botão COMPLETAR. Abaixo do vídeo aparece as opções de “anterior” e “próximo”.

  224. a gente assisti e não consegue informar porque não aparece o botão COMPLETAR

  225. Boa tarde assisti mais não consigo confirmar porque não aparece o botão completar

  226. Excelente, aula muito proveitosa…parabéns!

    • Olá Jorge! Que bom que você gostou da nossa aula, sucesso nos negócios!

  227. 86% de redução de peso, sendo que 34,4% fazem a redução de peso antes dos 12 anos parece algo bastante preocupante para o Judô. Informações bastante relevante para a reflexão em torno dos métodos e os porquês da redução de peso para atletas da categoria infantil.

  228. Essa aula é genial!
    Sobretudo quando envolve a etimologia dos termos “Artes Marciais”.
    Não somente pela referência a Ares, mas pela expressão à perspectiva da inteligência do ser humano voltada para além do corpo. Maravilhoso!!

  229. Muitíssimo bom a contextualização do processo e atmosfera de surgimento do Judô, com as gradações dos Samurais até chegar ao aspecto pedagógico do ensino do Judô. Exemplo muito apropriado do uso dos cursos EAD da FEBAJU nesta atmosfera de pandemia.

  230. Não consigo completar a aula , nao aparece o botão!

  231. Na extraordinária obra ENERGIA MENTAL E FÍSICA – Escritos do Fundador do Judô, o Mestre Jigoro Kano afirma: “… é um erro supor que o judô termine no dojô”.
    Esse curso proporcionado pela FEBJU, e em especial este módulo, deixa claro que os princípios do judô se aplicam em qualquer situação da vida.
    Parabéns Carine pelo conteúdo e a FEBAJU pela iniciativa.

  232. Sempre será de suma importância os conteúdos de que envolva o corpo humano!

  233. Admin bar avatar

    Muito bem explanado. Parabéns. A unica duvida é que não estou conseguindo concluir este modulo. Não aparece para confirmar para concluir.

  234. Admin bar avatar

    Muito bom. porém não consigo marcar como concluido.

  235. Estão de parabéns toda a equipe, realmente pensaram nos principais fundamentos para uma vida saudável de uma empresa!

  236. Mudamos vidas,salvarmos,transformamos ,mas sem a ajuda de outros profissionais para organizar nossas entradas e saídas ,afundamos em um abismo, pois o amor é grande para com o próximo, porém a razão tem que prevalecer para podermos ir em frente!

  237. Muito interessante essa aula pós tirei bastante dúvida em questão das novas regras e aprendi bastante em questão do Fair Play

  238. Admin bar avatar

    SALUTAR E PELO CONTEXTO E RIQUEZA AO DAR UMA CONOTAÇÃO DIFERENTE DO QUE SEMRE SE ENSINOU DA HISTORIA DO JUDO SOB ASPECTOS OUTROS SEM DEIXAR A CONSIDERAÇÃO DOS ENSINAMENTOS BASICOS PARABENS MUITO BOM

  239. Muito bom mesmo!

  240. Admin bar avatar

    QUANTO AOS ASPECTOS PEDAGÓGICOS REALMENTE MUITO RICO AS INFORMAÇÕES EU MESMO APRENDI MUITO AO SER EDUCADOR SOCIAL DENTRO DO PROJETO SOCIAL ARTE SEM FRONTEIRA POIS VIVO SEMPRE UMA REALIDADE DIFERENTE COM OS ALUNOS EM TODOS OS ASPECTOS HÁ UM CRESCIMENTO DE CONHECIMENTO E EMPATIA MUITO GRANDE HOJE TEMOS HISTORIAS PARA CONTAR QUE ATRAVES DO JUDO TEM MUDADO VIDAS EDIFICADO CARATER E FORMAÇÃO DE CIDADÃOS COM HONRA E ATITUDES PARA O BEM .

  241. curso muito bom que a febaju possa promover ainda mais cursos desses

  242. Admin bar avatar

    É um dos meus katas favoritos, exemplificação do Seiryoku Zenyo

  243. Muito bom Carine.
    Parabéns pela facilidade em transmitir os ensinamentos!

  244. Grande privilegio!

  245. Bom dia
    Estou tentando enviar os videos das provas praticas pelo portal e não conseguir, pelo fato dos videos serem muitos grandes o sistema nao consegue carregar, portanto, enviei os links dos mesmos pelo email disponível no portal, avaliavaoead@febajuead.com.br , para avaliação.

  246. Admin bar avatar

    Parabéns pelo explicativo hoje abrimos como MEI Micro empreendedor individual) e se possível fica a diga para junto com o Sebrae um curso com acompanhamento e desenvolvimento para facilitar o entendimento .

  247. Excelentes explanações, Bruno!

  248. Parabéns Bruno. Detalhou muito bem as diversas etapas da elaboração de proposta de projeto.
    Os exemplos citados facilitaram o entendimento.

  249. OSS.
    Parabéns, sensei.

  250. Excelente explanação sobre arbitragem,, parabéns .

  251. boa tarde a gente assisti os videos mais não consegue finalizar porque não aparece o botão concluir des do modulo passado

  252. a gente assisti o vídeo mais não consegue confirmar porque nao aparece o botao concluir

  253. Boa tarde assisti mais não consigo confirmar porque não aparece o botão completar o video

  254. Conteúdo importante e que auxiliará a quem deseje se habilitar para receber o incentivo.
    Parabéns Bruno

  255. Estou assistindo , no final de cada módulo concluído o curso, e agora chegou o 4 módulo, e não estou conseguindo concluir, e nem está aparecendo o botão de concluir o módulo, porque? Se puder corrigir agradeço desde já

  256. 1°,2°,3° módulo, consegui assistir e no final colocava concluir curso, agora non4 não aparece ítem completo, e nem concluir curso, se puder corri fico agradecido desde já, abraços

  257. Grandes ensinamentos…muito bom!

  258. Assisti , só que não tá aparecendo o item completo, pra gente aperta, em nenhum módulo

  259. Único modulo que não consegui completar pois não tem a opção de complete.

  260. a gente assisti o curso mais ao termino nao conseguimos concluir o modulo pois ate o 3 tivemos que ficar refazendo ao que nao tem mais como refazer para ficar como concluido

  261. nao conseguimos cocluir o modulo falta o botao concluir

  262. bom dia des do modulo 32 que nao conseguimos concluir o modulo ai a gente refez o curso ai conseguimos enregar o modulo mais agora no 4 modulo nao tem mais a opção refazer

    • Admin bar avatar

      Marlon,

      Estava com este mesmo problema, teclei ctrl+F5 resolveu meu problema e consegui finalizar os módulos.

  263. bom dia des do modulo 3 que nao conseguimos concluir o modulo ai a gente refez o curso ai conseguimos enregar o modulo mais agora no 4 modulo nao tem mais a opção refazer

  264. Admin bar avatar

    Conteúdo bem explicado. Porém não se consegue concluir após assistir. Vejo que essa reclamação é constante.

  265. Admin bar avatar

    Excelente explicações. O único problema é que não se consegue concluir as etapas assistidas…

  266. Super explicativo, parabéns!

  267. Muio boa a explicação esta de parabéns vítor mais como no 4 modulo não conseguimos concluir porque não aparece o botão de conclusão do modulo

  268. Boa tarde muito boa a explanação vítor mais infelizmente a plataforma sumiu o botão de conclusão do modulo por sinal já vem acontecendo em outros módulos.

  269. Boa tarde muito boa a explanação vítor mais infelizmente a plataforma sumiu o botão de conclusão do modulo por sinal já vem acontecendo em outros módulos.

  270. Boa tarde muita boa a explicação esta de parabéns mais infelizmente nao consigo concluir o modulo como no modulo 4

  271. Boa tarde muita boa a explicação esta de parabéns mais infelizmente não consigo concluir o modulo como no modulo 4

  272. Muio boa a explicação esta de parabéns vítor mais como no 4 modulo não conseguimos concluir porque não aparece o botão de conclusão do modulo

  273. Boa tarde muito bom a matéria gostei muito da explicação mais infelizmente dês do modulo passado que não tem como concluir o modulo infelizmente.

  274. Boa tarde muito bom a matéria gostei muito da explicação mais infelizmente dês do modulo passado que não tem como concluir o modulo infelizmente.

  275. Muito bom, parabéns..!

  276. Admin bar avatar

    Vitor muito esclarecedora. Porém não estou conseguindo marcar este modulo como concluído. Vai ficar como se não estivesse assistido a este modulo..

  277. Admin bar avatar

    O curso está excelente. Porém o problema de não conseguir concluir o modulo. Não está aparecendo para ativar a conclusão.

  278. Admin bar avatar

    O curso é de muito aprendizado, mas está havendo um problema na plataforma que não estou conseguindo finalizar o 5 modulo. Não aprece o ícone par concluir. Esperamos que corrijam esse imprevisto.

    • Admin bar avatar

      Ricardo,

      Estava com este mesmo problema, teclei ctrl+F5 resolveu meu problema e consegui finalizar os módulos.

  279. a gente assisti o vídeo mais não consegue confirmar porque nao aparece o botao concluir

  280. Boa explicação , infelizmente a gente assisti o curso mais ao termino nao conseguimos concluir o modulo pois ate o 3 tivemos que ficar refazendo ao que nao tem mais como refazer para ficar como concluido

  281. Boa explicação, infelizmente a gente assisti o curso mais ao termino nao conseguimos concluir o modulo pois ate o 3 tivemos que ficar refazendo ao que nao tem mais como refazer para ficar como concluido

  282. Parabéns Vitor. Pela explanação parece até fácil realizar um evento.
    A maioria das pessoas que assistem e até quem participa do evento não fazem ideia do trabalho para organizar.
    Quanto a conclusão dos módulos, desde o segundo não tenho, ao final, a opção de finalizar.

  283. Show Victor. Bem pontuado o passo a passo para execução de um evento.

  284. Admin bar avatar

    Carine,

    Boa tarde. o vídeo – 3.1 Conceito; Formalização de Empresa;…

    não está abrindo para meu login, poderia verificar

  285. Admin bar avatar

    Não Consegui finalizar o módulo 3

  286. Excelente aula…assim como todas as outras foram.

  287. Parabéns Thaís. Como você falou, as mídias sociais podem ser oportunidade ou ameaças, dependendo da forma que é utilizada.
    Nessa questão você foi muito feliz na abordagem do passo a passo para otimização das redes sociais como ferramenta de fomento para quaisquer atividade, mas aqui, especificamente, na divulgação de conteúdos para conquista e fidelização do público alvo das academias e clubes de judô.

  288. Gratidão pelo conhecimento transmitido professor.

  289. muito bom parabens

  290. Ótima aula, mas não tá aparecendo o botão para conclusão do módulo

  291. Excelente módulo.
    O botão para finalizá-lo não aparece.
    Com isso, não dá para chegar ao 100% requerido.

  292. Admin bar avatar

    É importante trazer informações sobre a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dado.

  293. Admin bar avatar

    Belo aprendizado.

  294. Admin bar avatar

    Muito proveitoso o curso e os professores de excelência

  295. Muito aprendizado nestes módulos, parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *